Bolo, balão, brigadeiro, presentes. Onde encontramos todas essas coisas? Em festas de aniversário e, especialmente, nas de crianças, óbvio! Infelizmente essa afirmação já não é tão óbvia assim porque hoje as festas de crianças ganharam espaços bem singulares. E é por isso que há muito tempo venho refletindo sobre festas infantis e seus novos contornos.

Minha reflexão começou com o boom das festas em buffets, onde a única coisa que remete ao aniversariante e à infância é a assinatura com a letra da criança (dependendo da idade) no convite. Ao chegar nesses lugares, você se depara com um baú onde deve depositar o presente ao “homenageado” – é esse o termo usado pela recepcionista que te recebe na entrada. Depositar o presente, mas sem esquecer de colocar seu nome na caixa para quando a criança chegar em casa e abrir seu baú com inúmeros presentes, e muitos repetidos, elas saberem quem foi o “remetente”. Aquela delícia de dar o presente escolhido a dedo ou feito com as próprias mãos e de receber do outro lado parece estar fora de moda. Triste, não? Mas esse é só o início da festa que segue, na maioria das vezes, em horário e com músicas, comidinhas ou brincadeiras nada adequadas para crianças. No decorrer da comemoração, o pequeno aniversariante fica sendo estimulado, incansavelmente, por animadores que nos fazem lembrar, a todo o momento, que hoje é o seu dia e não do personagem famoso estampado nos quatro cantos do salão. Com o fim da festa, a criança volta para casa cansada, mas com um saco cheio de presentes o que nos faz pensar o que foi celebrado ali: as conquistas de mais um ano de vida ou o consumo?

Hoje, a moda é outra, como denuncia reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. As festas mais cobiçadas pelas crianças de classe alta de seis anos, ou será pelas mães dessas crianças, acontecem em outro local nada apropriado: dentro de uma limusine alugada. Pasmem! As mães alugam limusines pelo valor de mais ou menos R$1.500 para festejar mais um ano da vida de seus filhos. As crianças festejam circulando pela cidade, dentro de um carro e ao som da mais nova celebridade mirim do momento, e acabam a festa ali dentro mesmo, sem poder brincar. Pois é... Mudaram não só os locais de comemoração como os valores que estão sendo transmitidos, não é mesmo? O que será que estamos transmitindo a nossas crianças quando festejamos seu aniversário dentro de salões de beleza ou de limusines? O que elas vão querer na festa de quinze anos ou no dia de seu casamento? Na minha opinião, cabe aos pais essa reflexão e a tentativa de pensar, criativamente, em como comemorar o aniversário de seus filhos de forma mais sustentável e humana.

Mas, existe saída, viu? Outro dia tive um bom exemplo, que me foi reconfortante, quando recebi um convite da festa de aniversário do filho de uns amigos que era feito pela criança. Quando cheguei à festa, que aconteceu no Jardim Botânico, pude entregar o presente na mão da criança e lanchar delícias feitas pelas tias e avós. Tudo muito original daquela família. No fim, saí junto com o aniversariante, que carregava um saco não tão grande de presentes, mas com um enorme sorriso no rosto. Na sua festa, ele pôde trocar com pessoas importantes na sua vida conquistas e atividades que valiam a pena guardar na memória. Isso é algo para se festejar! Experimentem.

Compartilhe :   
  1. Ana
    Ana em Segunda-feira 04 Abril 2011 18:59
    Pude viver este contraste este fim de semana, na sexta, festa de amiguinho do meu filho de 7 anos, buffet, filho e pais caracterizados do personagem tema, apresentação de bailarinos, fogos de artificio na entrada do "homenageado", aquela retrospectiva infindavel no telão repleta de fotos de passeios na disney, etc....Saí da festa com aquela sensação de vazio. No domingo, aniversário do meu filho, na casa da avó, com bolo, brigadeiro e guaraná, balões e a decoração com desenhos pintados pelos meus 2 pequenos espalhados pela parede,posso dizer por mais simples que seja a festa, o que ficou no final foi a sensação de pertencimento de acolhimento e o carinho da familia.
    bjs
  2. Jobis
    Jobis em Terça-feira 05 Abril 2011 11:27
    Faço coro com a Ana.

    O aniversário do meu pequeno é no dia 4 de maio. Ele já está preparando a festinha, colorindo desenhos e fazendo os seus próprios. Vamos fazer dois painéis com os desenhinhos dele e com suas fotinhas, também. As lembrancinhas serão com um potinho de vidro decorado com biscuí, e ele vai modelar o biscuí. Já estou vendo como ele vai se alegrar, com a sala cheia de balões, enquanto eles são pendurados. No ano passado, ele foi o porta-durex - não tem porta-bandeira? - e achou um máximo cortar a fita para as pessoas pendurarem. Como ele anda muito fã do Cocoricó, vai colorir muitos desenhos da turminha do paiol para enfeitar. NO ano passado, ele recebeu os presentes e levava para seu quarto, e achho que isso vai dar certo dessa vez. É bom ele poder abraçar e receber os parabéns de todos seus amiguinhos. Por razões financeiras, a festinha dele vai ser cbb - coxinha, bolo e brigadeiro - e ele está simplesmente encantado de ter 3 coisas tão gostosas num mesmo dia - luxo que só existe em aniversário mesmo.

    Se vocês estiverem por Guaxupé no próximo dia 3, venham aqui! SIntam-se convidados a ver como uma criança de siverte a valer!

  3. Luciane
    Luciane em Terça-feira 05 Abril 2011 12:20
    Sou super a favor de comemorar festinhas em casa! Nada mais acolhedor e divertido! Estamos ha 2 meses do aniversário da minha filha que completará 4 aninhos. O tema da festa? Jardim!! Sim, ela quer flores no bolo, na mesa e pela casa. Alguns pais estranharam, mas tenho certeza que irão se divertir. Será simples assim, flores, um escorregador divertido no quintal, bexigas, bolo e cachorro-quente! Claro, os convites serão feitos a mão e todas os amiguinhos virão fantasiados... existe diversão melhor que essa?
  4. guilherme fraenkel
    guilherme fraenkel em Terça-feira 05 Abril 2011 13:15
    Às vésperas de meu aniversário, que pretendo comemorar da forma mais singela possível na companhia das pessoas mais próximas, um grupo de cerca de 10 pessoas, acabei de ler um artigo que levou-me à reflexão sobre o consumo e sobre os valores modernos. “Festas em limusines?” por Luis e equipe em 04/04/2011.
    Sempre fui um crítico das festas infantis em casas de festas por apresentarem práticas que estimulam o consumo exagerado, que favorecem o afrouxamento dos laços de amizade e de família, que combatem as ações criativas e dedicadas daqueles que demonstram o carinho e atenção pelo aniversariante e que, principalmente, oferecem um modelo cada vez mais distante do que é humano em detrimento dos valores do ter.
    Já vi crianças que nem compreendiam o que estava acontecendo naquela data e que se apresentavam confusas, tamanho exagero de estímulos em uma casa de festas.
    Já vi criança chorando porque o personagem principal da festa, um personagem famoso de desenho animado não apareceu. O descontentamento foi tamanho que nem mesmo a presença de toda a família e dos coleguinhas animaram o garoto.
    Tudo isso sem falar na alimentação nada saudável que contribui de forma considerável para a formação de hábitos alimentares das crianças, na grande quantidade de lixo produzido e no enorme dano ao meio ambiente.
    Que tipo de modelo apresentamos para nossas crianças através de festas como estas?
  5. Leo Nogueira
    Leo Nogueira em Terça-feira 05 Abril 2011 15:06
    Meus parabéns para a crianças e sua família que celebrou o aniversário no Jardim Botânico.
  6. Lia
    Lia em Terça-feira 19 Abril 2011 17:40
    Concordo com os outros dizendo o seguinte: há melhor coisa do que estar com a família? Quando eu era criança, a parte mais esperada da festa (além dos Parabéns) era a parte do balão surpresa, que infelizmente não tenho mais visto nas festas atualmente.
  7. Buffet Infantil Safhari
    Buffet Infantil Safhari em Terça-feira 30 Agosto 2011 09:59
    Adorei o texto. Sempre pensei nisso, aliás, montei um buffet infantil obstinada pela meta de oferecer algo diferente e estamos tentando. Parabéns pela abordagem, vou recomendar a matéria aos nossos clientes.
    Obrigada,
    Renate

Comentários encerrados.