Uma pesquisa recente realizada pela Viacom ressaltou o que já sabíamos: na hora de comprar, a opinião das crianças influencia, e muito. Aproximadamente 73% dos pais pedem a opinião dos filhos na hora de comprar um produto, seja ele um produto infantil ou não. 60% das crianças afirmaram, por exemplo, que os pais levam em conta seu ponto de vista na hora de comprar o carro da família.

De acordo com o estudo, a criança também influencia na tomada de decisões de onde a família costuma ir: para ir ao cinema, 66% das decisões são feitas de forma colaborativa e só metade dos pais afirmou escolher os restaurantes para os filhos. A internet e a tevê aparecem como principal fonte para pesquisar produtos. 82% das crianças declararam a internet como a principal fonte de pesquisa, seguida dos comercias de tevê, com 70%.

Baseado nessas pesquisas não é difícil entender porque a indústria do marketing foca cada vez mais no público infantil, seja para vender brinquedos ou até carros e eletrodomésticos. Expostas a uma média de 5 horas de tevê por dia no Brasil, as crianças são convencidas mais facilmente por não ter visão crítica ao assistir a um comercial, sendo assim mais vulneráveis as táticas utilizadas pelas propagandas.

E, com cada vez mais poder de decisão dentro de casa, elas funcionam como promotoras de venda no âmbito familiar. Não é a toa que elas são expostas a um bombardeio publicitário tão grande... Como o que constatamos nos 15 dias antes do Dia das Crianças, em que os fabricantes de brinquedo dominaram o tempo comercial de 15 canais.

Compartilhe :   

Comentários encerrados.