Sutiã infantil com bojoHoje a Folha de S. Paulo publicou uma nota sobre sutiãs com bojo para crianças de 6 anos. Segundo informações da coluna da Mônica Bergamo, o produto, vendido nas Casas Pernambucanas, possui estampa da Sininho, personagem licenciado da Disney.

A matéria ainda cita casos parecidos que ganharam atenção da mídia recentemente, como da grife americana Abercrombie e de linha de biquínis da inglesa Primark. Os produtos mostram a adultização da infância, que obriga crianças a pular fases essenciais da vida, como a infância, e é amplamente promovida pelo mercado e pela mídia.

Sobre o assunto, a advogada e coordenadora geral do Projeto Criança e Consumo, Isabella Henriques, conversou hoje com Adalberto Piotto para o programa CBN Total. Vale ouvir a entrevista.

*A imagem que ilustra esse post é do blog Rafa Vac, que escreveu em março sobre o assunto.

Compartilhe :   
  1. Carol Prestes
    Carol Prestes em Quarta-feira 06 Abril 2011 17:48
    Como mãe me sinto ofendida com uma peça desta. Há alguns dias, procurando um "top" para minha filha de 10 anos que está com "botõezinhos" precisei visitar umas 10 lojas para encontrar um que não tivesse "cara" de sutiã, sem bojo, sem fecho, sem rendas e brilhos. Conseguimos um conjuntinho bem básico, algodão, da Moranguinho. Bem menininha mesmo. Mesmo assim, ela comprou o tamanho G, ou seja, o P e o M contemplavam crianças de 4, 6 ou 8 anos que não precisam disso. Lamentável!
  2. malu
    malu em Quarta-feira 06 Abril 2011 21:06
    Pelo Amor !!!!!
    Gente isso é normal .
    Estão fazendo tempestade num copo d´água.
    Tantos assuntos mais importantes para se tratar e estão dando destaque na capa de um jornal para um "sutiã" .......vai falar da roubalheira da politica , do surto de dengue , da falta de atendimento médico nos hospitais .....
    Comprei o tal sutiã para minha filha e posso falar que não induz a absolutamente nada , tem apenas um forrinho . O problema esta na mente de quem publica este tipo de matéria !!!!!Inclusive comprei outro da Barbie .

    O que dizer dos brinquedos q são armas , das espadas que acompanham as fantasias de super heróis .....

    Acorda povo indignado , vamos falar de coisa séria !!!!!

    Bjs
    Malu
  3. Aline
    Aline em Quinta-feira 07 Abril 2011 07:13
    mãe de socialitezinha detected
  4. Ana Paula
    Ana Paula em Sexta-feira 08 Abril 2011 15:33
    Enquanto aceitarmos isso como "tudo normal" vamos sendo entupidos de lixos desnecessários como este sutiâ, maquiagem, salto, armas, espadas,que só beneficiam quem os fabrica e vende pois não ensinam nada de útil às nossas crianças. Não é achismo, basta ver inumeros estudos que comprovam os maleficios da erotização precoce das meninas.
  5. Lia
    Lia em Terça-feira 19 Abril 2011 17:27
    Olha, eu estou com a Malu nessa, e como educadora também sou contra a adultilização da infância, só que isso é um profundo exagero.
    Quando tinha 8 anos, minha mãe me comprou um vestido com bojo, e de maneira alguma isso contribuiu para que eu não tivesse uma infância sadia. Isso é o mesmo com relação às meninas utilizarem a parte de cima do biquíni (afinal, pra que ela existe, se não há nada o que mostrar?)
    A criança (menina) sente necessidade em ser mulher desde quando usa as roupas da mãe e admira a imagem feminina. Isso é perfeitamente natural. Enquanto não estiverem estimulando o comportamento sexual precoce nas crianças (o que não será o caso de um reles sutiã), as coisas não estão de todo ruins...
    E a Aline está sendo preconceituosa ao afirmar que Malu é mãe de "socialitezinha", denotando inclusive um certo desdém e falta de capacidade de argumentação.
    Não devemos é ensinar valores errados às crianças, com relação a roupas de marca, e da importância que isso não tem em nossa vida. Ou tomar cuidado para que as crianças não estejam expostas a imagens de cenas de sexo quase explícito na televisão em pleno horário nobre.
  6. Luis Fernando S. Souza-Pinto
    Luis Fernando S. Souza-Pinto em Quinta-feira 28 Abril 2011 16:58
    A infância deve ser protegida da estupidez adulta, e ponto final.
  7. Aguinaldo Grillo
    Aguinaldo Grillo em Sexta-feira 29 Abril 2011 07:05
    Entendo que a Malu exagerou na sua colocação, pois na minha opniao não podemos banalizar esta erotização que expõe as nossas crianças.
    O que a Lia exemplificou o ocorrido na sua infância, não influenciou em nada sua vida adulta porque provavelmente tenha vindo de uma fãmilia bem estruturada, de ensinamentos do que é certo e do que é errado, o que tenho mostrado para meus filhos, quando me deparo nestas circunstâncias. Porém a cada dia, a maioria da sociedade perde mais o controle da educação sob seus filhos, o que os deixam expostos a acreditar que este mundo de fantasia que lhes apresentam seja real. Cabe a nós país, ajudá-los a dicernir o que é certo ou errado.
    Enfim, se sua filha de 7 anos vai ao Shopping, de sandália de salto, mini saia, batom vermelho, maquiagem, brincos grandes e sutiã de bojo e você acha extremamente normal, tenho certeza que se não houver uma base familiar bem formada, com certeza ela vai se sentir no direito de aos 10 anos ser tratada com uma adolecente.
    Tenho 3 filhos (menino 9 anos, meninas 7 e 4 anos), e sinto na pele como todos vocês, a didiculdade de mostra-lhes que aquilo que eles vem na TV ou o que os amiguinhos usam ou fazem, nem sempre é bom para eles. Este é um dos muitos desafios que nos são atribuídos como país.
  8. Eliane Araujo
    Eliane Araujo em Sexta-feira 29 Abril 2011 13:08
    O problema não são as crianças, mas a sensibilização dos pais. É importante que as escolas também se envolvam nesse processo de combate ao consumo infantil, através de reuniões com os pais.
  9. Karine
    Karine em Quarta-feira 24 Agosto 2011 15:30
    Quando um adulto comenta que usar um sutian não a influenciou, isto pode ter acontecido com ela ou não, afinal, ela foi influenciada a ponto de comprar um igual a filha. Sem dúvidas o apetrecho (pois não é acessório) induz a criança a desenvolver a sexualidade mais cedo pois o ambiente em que vivemos induz nosso desenvolvimento endógeno. As meninas menstruam cada vez mais cedo, e não é exagero dizer que garotas que são apresentadas ao mundo adulto - sutiã, salto, maquiagem "séria", etc- fazem parte deste grupo, enquanto garotas que não fazem, são crianças por mais tempo. Quando analisamos a situação com a visão estreitada, quer dizer, em relação se aconteceu algo "grave" com a criança, a análise vai ser neutra, quando analisamos com a visão holística, com certeza esta criança (adulto)que diz não ser influenciado poderia ter tido contato com o mundo adulto mais tarde e isso lhe traria um maior aproveitamento das fases da vida. Nosso ambiente e a mídia estão aí para comprovar. Quanto ao biquini, que "tampa" a parte de cima, é uma roupa utilizada ha anos, mas não tem o bojo, que "adultiliza" e sexualiza a criança, portanto, não pode ser tratado neste assunto. E quando a criança está de biquini, não usa camiseta por cima. A camiseta na menina também "tampa" seu corpo. Vamos abrir mais a visão e analisar as situações de forma a enxergar "grande" e não nos prender a desculpas esfarrapadas.
  10. julia beatriz
    julia beatriz em Segunda-feira 29 Agosto 2011 19:08
    poxa nem eu cm nove anos nao uso sutian de bojo :p
  11. Esther
    Esther em Quinta-feira 24 Novembro 2011 16:33
    1. Por quê o bojo ?

    O bojo é para dar a ilusão de seios, sua conexão com a sexualidade e sensualidade é direta.

    2. O contexto: o fato de uma menina usar isso no contexto sexualizado de hoje a torna ainda mais suscetível à mensagem desse apetrecho, do que seria se ela vivesse há vinte anos atrás.

    3. A insensibilidade dos pais.

    Quandos pais aparecem dizendo que não veêm nada de mau numa menina impuberbe querer usar um apetrecho desses, isso sim me preocupa.
    Infelizmente, isso me faz pensar que esses pais não tem idéia do q
  12. Yasmin
    Yasmin em Quarta-feira 30 Novembro 2011 10:20
    Concordo com a Esther e começo a pensar que as pessoas precisam fazer um exame psicotécnico para se tornarem pais. O Brasil apresenta um enorme diversidade, porém quando se trata de violência sexual infantil (pois a sexualização é uma violência) não existe diferença entre "os bem nascidos", "de boa família" e pessoas com dificuldades financeiras. A criança é um ser em formação, vai chegar a hora certa da suas menininhas usarem o sutiã, comprarem absorventes e a camisinha, mais esse PROCESSO requer o amadurecimento delas em cada ETAPA. A maturidade lhes proporcionará ESCOLHAS PARA SUAS VIDAS!!!

Comentários encerrados.