O Carnaval é o momento do ano em que mais se vê o estímulo mercadológico ao consumo de bebidas alcóolicas. As grandes cervejarias costumam travar verdadeiras batalhas em busca de consumidores para suas marcas, e, nesse contexto, é preciso lembrar que a cerveja não é considerada bebida alcóolica para fins de publicidade e, por isso, pode ser anunciada a qualquer hora do dia ou da noite, ainda que, sim, possua teor alcóolico e para todos os outros fins legais seja tida como bebida alcóolica. São celebridades e mais celebridades, inclusive internacionais, que figuram nos filmes publicitários que podem ser veiculados a qualquer hora do dia nos canais de tevê – inclusive quando a audiência é, na grande maioria, infantil.

E justamente nessa época deparei-me com algumas notícias que valem a reflexão. A primeira diz respeito à arte da designer italiana que desenhou mamadeiras de bebês como se fossem garrafas de bebidas alcóolicas diversas, como a vodka da Barbie ou o whiskey da Fischer Price. A ideia parece absurda, apenas uma brincadeira com tom crítico que nunca sairia do papel. Mas, estamos chegando lá: já temos o espumante das Princesas e do Mickey, ambos da Disney, que, vá lá, não são alcóolicos, mas não deixam de estimular nas crianças o consumo de espumantes. É preocupante. Imagine se a moda pega e tenhamos no mercado mamadeiras em formato de garrafas de famosas bebidas alcóolicas?!

Também nesses dias foi divulgado o estudo da Universidade Federal de Minas Gerais, realizado em 16 estados brasileiros, dando conta que as meninas a partir dos 14 anos consomem mais bebida alcóolica do que os meninos, segundo a pesquisa, “para relaxarem da pressão exercida por família e escolas”. A propósito, Rosely Sayão lembrou que as meninas com menos de seis anos de idade já são vestidas e maquiadas como adultas e interessadas em assuntos de mulheres feitas – o que talvez explique uma maior pressão sobre elas.

É mais um estudo comprovando que o assédio mercadológico às crianças tem sido enorme e causado problemas gravíssimos, inclusive de saúde. Não estamos falando apenas do impacto do número de crianças e pré-adolescentes que já começam a consumir bebidas alcóolicas ou do aumento dos índices de alcoolismo em faixas etárias cada vez mais novas, mas também de cada criança, de cada família que está sofrendo com as consequências desse bombardeio publicitário, muitas vezes sem mesmo se dar conta da origem de tudo isso.

Em termos de políticas públicas, nossas crianças precisam de mais proteção do Estado. É urgente a necessidade de uma legislação que considere as cervejas e os vinhos como bebidas alcóolicas para fins publicitários, a fim de evitar que qualquer comunicação mercadológica de tais produtos fale com as crianças de alguma forma e, principalmente, que a publicidade de cervejas deixe de ser veiculada durante o período diurno nas rádios e tevês brasileiras – principalmente durante eventos festivos como o Carnaval e Copa do Mundo.

Compartilhe :   
  1. Cesar Pazinatto
    Cesar Pazinatto em Segunda-feira 13 Fevereiro 2012 22:04
    Muito bom o artigo.
    Teria algum problema eu reproduzir no meu blog. Com os devidos créditos é claro.
    Um abraço
    Cesar
  2. Paulo de Tarso
    Paulo de Tarso em Segunda-feira 13 Fevereiro 2012 22:23
    Pois é e depois ficamos nós a mercer da nossa bela rede de saúde p cuidar dos nossos dependentes e tb das vitimas do trânsito alcoólico, tudo começa muito cedo, é uma questão de cultura, mui capitalista!
  3. Isabella
    Isabella em Terça-feira 14 Fevereiro 2012 14:41
    Oi Cesar, pode sim, será um prazer!
  4. Equipe Criança e Consumo
    Equipe Criança e Consumo em Terça-feira 14 Fevereiro 2012 15:33
    Realmente, Paulo. Temos que exigir uma legislação que considere as cervejas e os vinhos como bebidas alcoólicas para fins publicitários. Quanto mais pudermos alertar a sociedade para esse assédio mercadológico, mais chances temos de mudar isso.
    Abraços da equipe Criança e Consumo.
  5. Jobis
    Jobis em Sábado 18 Fevereiro 2012 14:38
    Fiquei bege ao saber que cerveja e vinhos não são considerados aucoólicos para fins publicitários... que absurdo!!! por essas e por outras que aqui, simplesmente, não vemos tv aberta. um desrespeito atrás do outro! tem um episódio das super poderosas, acho, emq ue um adulto consome cerveja de manhã, a menina adverte e ele diz que aquele era um dia especial e, então, podia.... uma pena...

Comentários encerrados.