bandeirinhasBandeirinhas, barracas, fogueira, quadrilha e caipiras. Onde encontramos tudo isso? Nas festas juninas ou arraiás tradicionais em nosso país, claro! A festa junina é um momento muito bacana de nossa cultura popular, quando podemos comer comidas típicas como bolo de fubá, cocada e milho verde, além de aprendermos músicas tradicionais de forró. Quando eu era pequena, esperava ansiosamente pela festa junina de minha escola, não só porque era o dia de encerramento das aulas antes das férias de inverno, mas também pelas maravilhosas brincadeiras da festa. Tinha rabo do burro, argolas, boca do palhaço e muito mais. E nós, crianças, participávamos de toda organização da festa o que a tornava mais especial.

Na festa da minha escola as prendas eram feitas pelos alunos e a graça não era a prenda em si, mas a brincadeira. As comidas nós levávamos de casa para ajudar na organização da festa, que era toda feita coletivamente. Uma farra! No grande dia todas as turmas se encontravam para brincar juntas e as crianças maiores ajudavam os menores nas barracas de brincadeiras. No fim da festa, fazíamos uma grande roda em volta da fogueira para dançar. E nossa volta para casa não era tão cheia de prendas como hoje em dia, mas sim de recordações maravilhosas e quase sempre estávamos de chapéu trocado.

Hoje, pelo que tenho visto, o relato seria um pouco diferente. As festas juninas de algumas escolas parecem grandes produções, chegando até a serem patrocinadas por marcas - inclusive de cervejarias, como aconteceu numa escola paulista no ano passado. Fato que me entristece muito, porque dessa forma parece que mercantilizamos mais uma data comemorativa tão importante em nossa cultura e na vida das crianças. Mas, nesse fim de semana vi que tudo tem solução e as pessoas têm de fato se conscientizado sobre algumas questões importantes. Basta vontade coletiva para transformação! Adorei a iniciativa da Folhinha, que trouxe na edição de 4 de junho uma matéria bem bacana chamada Arraiá reciclado, com algumas ideias de como produzir prendas junto com as crianças usando sucatas como materiais.

Que tal tentar organizar uma festa junina autêntica, onde o foco seja a brincadeira, e não a prenda, e quando essa estiver presente que seja mais sustentável e sem muito plástico ou embalagens. O ideal mesmo é que não sejam compradas, mas sim confeccionadas pelas próprias crianças. Nesse mês de junho, pense nisso!

Compartilhe :   

Comentários encerrados.