Quais os caminhos que os jovens do mundo esperam do futuro, quais os anseios daqueles que nasceram na época da Eco 92. Essas e muitas outras questões estiveram na "Conferência de Jovens para a Rio+20", evento preparatório que buscou unir jovens do Brasil e do mundo em torno do debate sobre "o futuro que queremos".

O Instituto Alana buscou fazer a ligação entre consumismo e sustentabilidade e mais uma vez mostrar que o futuro que queremos começa na infância. Por isso, enquanto as crianças forem vistas pelo mercado de consumo como jovens consumidores, a sustentabilidade ambiental estará comprometida.

Uma lição que a juventude trouxe para o debate é que o futuro da Eco 92 já é a realidade de hoje. Portanto, é preciso buscar construir o presente que queremos. Sonhar com um futuro melhor, sempre, mas construí-lo hoje, no presente. Essa é a missão dos jovens e o dever dos jovens a mais tempo que sonharam em construir um planeta em que seja possível satisfazer as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades.

 

Compartilhe :   

Comentários encerrados.