A educadora e psicóloga Susan Linn, criadora da Campaign for a Commercial Free Childhood, era uma das convidadas para o debate sobre o excesso de brinquedos e a importância do brincar, que aconteceu na segunda-feira passada, na Livraria da Vila. No entanto, Susan não pôde ficar no evento, e deixou uma mensagem em que comenta sobre a erosão da brincadeira criativa.

A psicóloga ressaltou a importância do brincar: "a brincadeira criativa é a fundação do aprendizado, da criatividade, da resolução construtiva de problemas, de autorregulação, da habilidade de dar continuidade a projetos e de ter autocontrole e atrasar a gratificação. Mas também é a maneira com a qual a criança lida com a vida para atribuir-lhe sentido."

Para ela, as crianças brincam menos criativamente com brinquedos baseados em personagens da mídia, os quais elas não precisam criar histórias, simplesmente copiá-las da TV. Outra crítica é relacionada a brinquedos que não exigem a interação da criança, nos quais a participação infantil é apenas apertar um botão. "Os melhores brinquedos são aqueles que são 90% a criança e 10% o brinquedo. Mas os que mais vendem são o oposto, aquelas que tendem a fazer tudo pela criança, ou que na realidade limitam e restringem sua brincadeira criativa."

Vale assistir ao vídeo deixado por ela:

Compartilhe :   
  1. paula tavolaro
    paula tavolaro em Quinta-feira 13 Outubro 2011 15:35
    Estive no evento, e comentei o trabalho de vocês no meu blog (http://metendoospespelasmaes.blogspot.com/). É uma pena que tive que sair antes do final da discussão, mas food for thought para o resto da semana...
  2. Projeto Criança e Consumo
    Projeto Criança e Consumo em Quinta-feira 13 Outubro 2011 15:59
    Olá, Paula! É muito bom saber que você gostou do debate e que está disposta a divulgar os próximos! E concordamos com vc: cada um tem que fazer a sua parte pela proteção da infância -- pais, escolas, sociedade em geral, mídias, empresas e Estado.
  3. Talita
    Talita em Quarta-feira 30 Novembro 2011 17:12
    Olá, sou nova por aqui e gostaria de comentar que achei muito interessante o tema tratado pela Dra. Linn! Concordo que os melhores brinquedos não são os eletrônicos e sim os que a criança tem de "trabalhar" para poder brincar e se divertir (por causa de todas as habilidades importantes que ela irá desenvolver para que isto aconteça). No entanto, não sei se concordo com a ideia de que a imitação dos desenhos seja algo ruim como foi colocado. Ninguém constroi histórias do nada, mesmo a criatividade, imaginação e fantasia são baseadas em algo já visto ou vivenciado, ou seja, se ela não vai imitar os desenhos, por exemplo, da TV, certamente repetirá algo da vida cotidiana ou de algo que ela presenciou em algum lugar, certo? Imitar é importante! De qualquer forma, curti muito o assunto e irei divulgar! Obrigada, Talita

Comentários encerrados.