Para quem quer comprar alimentos mais saudáveis, os rótulos das embalagens são quase sempre um enigma. As porções analisadas variam de alimento para alimento e é preciso que o consumidor tenha um conhecimento mínimo de nutrição para poder julgar se a quantidade de cada nutriente é pouca ou excessiva.

Nesse contexto, o sistema Traffic Light Labelling (Semáforo Nutricional) é uma proposta de simplificação das rotulagens, em que os produtos são analisados e, de acordo com seus valores nutricionais, associados a uma das cores do semáforo (verde, amarelo e vermelho), possibilitando que o consumidor identifique imediatamente quais produtos podem ser consumidos sem grandes preocupações e quais merecem atenção.

Um novo estudo, feito pelo Hospital de Massachussets, nos Estados Unidos, mostrou que a adoção desse sistema pode levar consumidores a fazer escolhas mais saudáveis. A pesquisa colocou etiquetas nas cores do semáforo para indicar o grau de saudabilidade dos diferentes alimentos vendidos no hospital. Além disso, cartazes sugeriam que os consumidores escolhessem os itens marcados com verde com mais frequência, amarelos de vez em quando, e considerassem alternativas para os com etiqueta vermelha.

O resultado mais gritante foi com as bebidas. Depois de três meses, a venda de bebidas com etiqueta vermelha caiu em 16,5%, enquanto a das marcadas em verde aumentou em 9,6%. No conjunto total de alimentos e bebidas, todos os produtos marcados em vermelho tiveram uma queda de 9,2% em suas vendas, enquanto os produtos “verdes” tiveram um aumento de 4,5%.

Assim, o Traffic Light Labelling pode ser uma alternativa eficaz no empoderamento de consumidores e na escolha por uma alimentação mais saudável. No entanto, a discussão acerca do tema ainda encontra resistência da indústria alimentícia, ficando fora da pauta de debate do Estado.

Compartilhe :   

Comentários encerrados.