No dia 18 de maio, mês em que se comemora o Dia das Mães, o Projeto Criança e Consumo promoveu um chat em seu perfil no Twitter. O tema era consumismo infantil e como lidar com os apelos comerciais direcionados às crianças. Durante uma hora, das 18h às 19h, pais, mães, educadores, psicólogos, publicitários e outras pessoas interessadas no tema fizeram perguntas e comentários.

Como explicar para o meu filho sobre a necessidade ou não de comprar um produto? Não há um jeito de fazer uma publicidade mais responsável e educativa para as crianças? Falo de falta de dinheiro ou invento uma desculpa para não comprar determinado produto que meu filho pede? Foram muitas as dúvidas que surgiram. O papo foi bom, embora curto... E ficou um gostinho de “quero mais”.

De fato, a responsabilidade de educar filhos é enorme e as inseguranças e dúvidas sempre aparecerem. Por isso, a equipe do Criança e Consumo propõe mais um encontro no nosso Twitter para o fim de julho. Desta vez o tema será crianças e consumo de alimentos.

Sem data fechada ainda (vamos divulgar assim que estiver tudo acertado!), a ideia desse chat é entender quais as dificuldades dos pais em lidar com a publicidade de alimentos pouco nutritivos, que parecem seduzir as crianças para o consumo. Lanche com brinde, ovo de Páscoa com brinquedo, personagens famosos estampados nas embalagens de cereais, gelatinas e biscoitos, comerciais na TV. Enfim, são inúmeras as comunicações voltadas aos pequenos com o intuito de vender alimentos que nem sempre suprem as necessidades nutricionais das crianças e, se consumidos em excesso, podem levar a uma série de problemas de saúde.

O tema é quente, e está na pauta mundial. Nos EUA, Michelle Obama tem unido esforços para combater a obesidade infantil. O chef-star Jamie Oliver está fazendo uma verdadeira revolução da comida. E no Brasil, esperamos que o governo invista, em breve, em uma grande campanha para promover um estilo de vida mais saudável.

Hoje, 30% da população infantil brasileira já está com sobrepeso e 15% com obesidade. Segundo dados da pesquisa que o Datafolha fez a pedido do Projeto Criança e Consumo em março desse ano, mais de 75% dos pais se sentem prejudicados pelas publicidades de alimentos não saudáveis voltadas a seus filhos . E você, como acha que podemos combater um problema tão grave?

Fique atento às informações sobre o chat e participe!

Compartilhe :   

Comentários encerrados.