A idéia de formar esta Frente surgiu como desdobramento do trabalho que várias entidades vinham desenvolvendo desde que a Consulta Pública 71 – sobre regulamentação da publicidade de alimentos – foi proposta em 2006 pela Anvisa. Com a publicação da Resolução nº 24 da Agência e a subseqüente suspensão de sua entrada em vigor em razão de uma decisão liminar proferida pelo juízo federal, a pedido da ABIA (Associação Brasileira de Indústrias Alimentícias), estas entidades decidiram formar a Frente pela ...


Pasmem! A escola brasileira recebe hoje crianças que estão entre as que mais assistem a TV no mundo (uma média de 5 horas por dia, segundo os últimos dados do IBOPE). Crianças que são, incessantemente, convidadas pelas mídias, principalmente pela publicidade, a entrar cada vez mais cedo no mundo adulto do consumo. Crianças que acabam se distanciando de sua linguagem natural, que é o brincar. Nesse contexto, a escola tem um enorme desafio: ser um espaço de referência na relação ...


O Plano Nacional Primeira Infância é uma iniciativa da Rede Nacional Primeira Infância, de propor para o país um projeto para esta fase tão especial da vida humana: dos 0 aos 6 anos de idade. Vem sendo discutido e trabalhado pelas entidades que integram a Rede (89, atualmente) já há alguns anos, tendo sido formalmente lançado em 7 de dezembro de 2010. O Projeto Criança e Consumo, enquanto integrante da Rede Nacional Primeira Infância, participou ativamente da elaboração desse Plano, ...


Acabaram as férias e é tempo de recomeçar. Esse momento de retorno a escola pode ser também uma boa época para repensarmos os conceitos transmitidos aos nossos filhos e sobre a importância de não passarmos valores consumistas. Eis a questão: será que precisamos comprar tudo de novo? Mochila, estojo, lápis e lancheira senão nossos pequenos não serão aceitos na turma? Claro que não! Podemos só repor algumas coisas que faltam e reaproveitar outras. Pode ser bacana tirar um dia para ...


Já faz algum tempo – mais de quatro anos, para ser exata – que nós do Projeto Criança e Consumo, do Instituto Alana, defendemos a necessidade de regulação da publicidade de alimentos obesígenos voltada ao público infantil. Temos participado de debates em diversas casas legislativas do país, notadamente no Congresso Nacional, onde tramitam projetos de lei sobre o tema, bem como participamos de todo o processo da Consulta Pública nº 71/2006 da Anvisa, que culminou na Resolução nº 24/2010. Também ...


A volta às aulas é um momento muito prazeroso e esperado pelas crianças, que estão ansiosas para rever os amigos, saber quem são os novos colegas e aprender muitas novidades. Já para os pais esse retorno às aulas pode significar gastos acima do esperado em razão das monstruosas listas de material com apelo ao consumo. O bombardeio de publicidade de material escolar como mochilas, estojos, cadernos e outros produtos dá a ideia de que, para começar bem o ano, é ...


Vocês viram? José Dirceu, influente ex-ministro do Governo Lula, em entrevista no programa Roda Viva da TV Cultura, defende que haja um debate público sobre a necessidade de regulação da mídia. Ele fala a respeito da experiência internacional que, dentre outras regras por ele exemplificadas, prevê a proibição de comercial em programa infantil.


Aprovada por unanimidade, nova lei da câmara de vereadores de Los Angeles proibiu a abertura de restaurantes fast food em South Los Angeles, onde os índices de obesidade são alarmantes. Segundo a câmara, hoje são quase mil restaurantes fast food na região. Ao mesmo tempo, cerca de 30% dos 750 mil moradores são obesos, o dobro registrado em outros lugares de Los Angeles, onde as pessoas se alimentam de modo mais saudável. O problema é grave sim, mas a decisão ...


O Projeto Criança e Consumo esteve na Campus Party 2011 e compareceu ao palco Games, onde acompanhou palestra “Parece impossível mas não é: Educação e Diversão”, com a fala de Túlio Soria (meu chará), um dos integrantes da equipe Mother Gaia Studio, empresa de desenvolvimento de games. A apresentação de Túlio foi muito mais uma propaganda dos trabalhos da empresa do que uma discussão sobre games e educação. Mesmo assim, muitos pontos relevantes foram levantados. Vale lembrar que a discussão ...


No Brasil, existem 241 rotas de tráfico de crianças e adolescentes para fins de exploração sexual, 1.820 pontos de exploração sexual infantil nas rodovias federais, 13.472 denúncias de pornografia infantil na internet apenas no primeiro semestre de 2010 e 3.600 denúncias telefônicas de abuso e exploração sexual infanto-juvenil no mesmo período. Esses dados mostram que a violência sexual infantil é, sem dúvida, uma questão delicada no Brasil. Segundo a World Childhood Foundation, além da vulnerabilidade econômica, existem outros fatores que ...


Desde novembro de 2010 está no ar o Debate Online sobre a Classificação Indicativa, promovido pelo Ministério da Justiça, chamando a sociedade a se manifestar sobre a política vigente nos moldes atuais desde 2006. O Criança e Consumo enviou suas contribuições, especialmente chamando a atenção para a necessidade de incluir o merchandising e o merchantainment nos critérios da Classificação. A proposta de revisão da Classificação Indicativa nos faz agora refletir sobre outros aspectos que influenciam o desenvolvimento infantil saudável. A ...


Ainda sobre a pesquisa da Nick, tema de post na semana passada, são curiosos os dados sobre criatividade. Segundo a pesquisa, assistir a programas infantis ou a desenhos foi considerado por mães de filhos de 2 a 12 anos como mais estimulantes à criatividade dos pequenos do que atividades como fazer lição de casa, ouvir música e conversar com crianças de outras idades. O questionamento fica a cargo do conteúdo desses programas e quanto eles são apropriados para a idade ...


Depois de tanto se discutir o impacto da comunicação mercadológica no desenvolvimento infantil, algumas empresas já entenderam que é preciso ter mais cuidado na hora de anunciar. Só que para muitas esse ainda é um problema. É o caso da área YGirls, no site da Nivea. Ao invés de reinventar a roda da publicidade e dirigir a mensagem aos adultos, a empresa acaba por tratar crianças como “jovens”. Toda a comunicação foi (supostamente) pensada para um público adolescente –“Faça parte ...


As férias escolares estão acabando, mas ainda há tempo de pensar em programas bem divertidos para entreter nossas crianças! O sol e o calor do verão podem nos ajudar muito a fugir dos shoppings lotados e aproveitar para comprar menos e brincar mais. Que tal fazermos passeios ao ar livre? Podemos visitar parques e praças públicas de nossa cidade e aproveitar para mexer o corpo: brincar de roda, pular amarelinha, andar de bicicleta ou jogar bola. Um piquenique bem gostoso ...


No dia 2 de janeiro, o governo britânico anunciou um plano de quase R$ 650 milhões para estimular a alimentação saudável. Com financiamento da indústria alimentícia, a ideia é dar descontos na compra de produtos considerados saudáveis. A iniciativa faz parte da campanha nacional de combate à obesidade Change4Life, lançada em 2009. Problema: os descontos são dados por meio de tickets distribuídos por algumas empresas e só valem para compra de produtos de determinadas marcas. Kellogg’s, Nestlé, Mars e Unilever ...


Ano novo; fôlego novo! Novas esperanças de que a discussão em torno da abusividade do direcionamento de publicidade às crianças fique ainda mais intensa e resulte em mudanças efetivas. É com essa expectativa que o Projeto Criança e Consumo lança esse blog. Para ter mais espaço para se comunicar com a sociedade sobre assuntos diários e principalmente para ouvir o que a sociedade quer falar sobre temas relacionados ao consumo infantil. E já começando o mês de janeiro agitado, não ...


Uma pesquisa compilada pelo canal infantil Nickelodeon traz à tona alguns dados sobre obesidade infantil no Brasil. O estudo mostrou, por exemplo, que para muitos pais o aroma e o sabor dos alimentos são mais importantes que os valores nutricionais. Outro fato é que as crianças de 6 a 11 anos escolhem a marca das comidas. Os itens mais escolhidos pelos pequenos são doces (80%), chocolates (69%), frituras (como nuggets – 88%) e refrigerantes (62%), produtos processados industrialmente, altamente calóricos ...


Não bastassem os brindes e as embalagens com personagens tipo Shrek, Ben 10 e Hello Kitty, agora os fabricantes querem literalmente iluminar seus produtos para atrair a atenção do consumidor – em especial das crianças. Uma nova tecnologia para embalagens foi anunciada na CES, a maior feira de eletrônicos do mundo, realizada de 6 a 9 de janeiro em Las Vegas. Trata-se de LEDs que são acionados com a aproximação do consumidor, por indução magnética. A novidade foi pensada para ...


Os equipamentos e produtos eletrônicos que descartamos diariamente têm contaminado cada vez mais o planeta. No documentário The Story of Electronics, lançado em novembro de 2010, Annie Leonard explica os malefícios dessa indústria. A produção de TVs, computadores e telefones celulares vem crescendo em um ritmo alarmante. E o problema é que a freqüência com que temos que comprar produtos novos é cada vez maior, ou seja, nossos celulares e aparelhos eletrônicos geral têm vida útil cada vez mais curta. ...


Cansada de só ver as costas dos filhos jogando videogame ou seus rostos iluminados pela luz do laptop, a jornalista inglesa Susan Maushart resolveu desconectá-los por seis meses. E, eles não só sobreviveram ao experimento, como também abraçaram a ideia. O resultado, que ela conta em matéria do The Guardian e no livro “The Winter of Our Disconnect”, foi positivo. A jornalista enfrentava o que muitos pais veem hoje em suas casas: famílias que não convivem ou interagem no ambiente ...


“O meu Treo continua no balcão da cozinha, pronto para ser usado mais uma vez, como o brinquedo Woody de Toy Story. Isso é amor?” Esse é um trecho do artigo do jornalista Damon Darlin, publicado recentemente no The New York Times. Trata-se de uma declaração de amor a um dos primeiros smartphones do mercado e, mais do que isso, à tecnologia digital. Refazendo a pergunta: será mesmo amor? Na sociedade de consumo, nossos sentimentos são traduzidos em fetiche. E ...