As crianças do Reino Unido estão cada vez mais influenciadas por uma cultura materialista e não passam tempo suficiente com seus pais. Esses foram os dados apresentados em uma pesquisa do Ipsos MORI para a Unicef. Preocupada com o resultado, a Unicef está pressionando o governo inglês para pôr fim às publicidades de televisão dirigidas a crianças de até 12 anos, como forma de evitar que elas se sintam pressionadas a possuir bens materiais.

Segundo o diretor executivo da organização, David Bull, é necessário que o governo ajude as famílias a lutar contra o materialismo e a desigualdade presente no Reino Unido. Uma das iniciativas para combater o consumismo é a reforma das leis sobre publicidade dirigida a crianças.

De acordo com a pesquisa, os pais estão compensando o tempo que passam longe comprando eletrônicos e roupas para os filhos, como resultado da pressão da sociedade e da publicidade para possuir bens materiais. O estudo também ressaltou a importância, na visão das crianças, de possuir alguns produtos para se sentir inseridas em grupos sociais.

Se a pesquisa fosse feita no Brasil, o resultado não seria muito diferente. As crianças brasileiras passam, em média, mais de 5 horas por dia em frente à tevê e são bombardeadas por publicidade. As tentativas de se regular a questão também vêm sendo amplamente debatidas por aqui, mas encontram forte resistência do mercado anunciante.

Compartilhe :   

Comentários encerrados.