As revistas de fofoca não deram essa notícia, mas o Ken e a Barbie recentemente terminaram seu namoro de décadas. O motivo? Veja:



Brincadeiras à parte, a denúncia é grave. Imagine quantas Barbies e quantos Max Steel são vendidos todos os anos pelo mundo afora. Agora imagine quanto material é preciso para embalar todos esses bonecos. Não é pouca coisa.

O problema é que os fabricantes de brinquedos de todo o mundo tem fechado os olhos para a origem da matéria-prima usada na embalagem de seus produtos. E a Barbie é só a ponta do iceberg.

A loira famosa pode ter sido o ícone escolhido pelo Greenpeace pra estrelar o videozinho acima, mas no site é possível ver que além da Mattel (fabricante da Barbie e do Max Steel), Hasbro, Disney e Lego também andam fingindo que o problema não é com eles, enquanto seus fornecedores de papel continuam detonando com as florestas, causando desmatamento, perda de biodiversidade e contribuindo pro aquecimento global.

Acho curioso ver empresas que fazem produtos para crianças destruindo o planeta que essas mesmas crianças vão herdar daqui a alguns anos… Acho curioso, mas não surpreendente.

Explico: é que as empresas denunciadas pelo Greenpeace são as mesmas que nós aqui do Projeto denunciamos em outubro do ano passado, quando fizemos o levantamento de Dia das Crianças. Nessa pesquisa, nós constatamos 1100 inserções de publicidade dirigidas a crianças durante 10 horas de programação, sendo que quase 80% desses anúncios eram de brinquedos. E adivinhem? Mattel e Hasbro foram as campeãs de inserções.

Anunciar para crianças é estimular ao consumo um público que não tem condições de refletir sobre o que e como está consumindo – ou seja, é fomentar um padrão de consumo totalmente inconsciente. E estimular o consumo inconsciente num planeta que tem recursos cada vez mais escassos e que vive uma crise climática não é uma postura da qual uma empresa pode se orgulhar.

As denúncias feitas pelo Greenpeace e pelo Criança e Consumo podem ser diferentes no seu teor, mas o que está por trás delas é a mesma coisa: falta de responsabilidade e de ética. Em outubro, era com o desenvolvimento das crianças e com a promoção de uma infância saudável e livre do bombardeio publicitário. Agora, é com as florestas e o planeta. De um jeito ou de outro,  ainda falta um bocado pras fabricantes de brinquedos serem amigas de verdade das gerações futuras.

Leia mais:
http://www.greenpeace.org/brasil/pt/O-que-fazemos/Amazonia/Barbie-Acabou/

http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Blog/ken-liga-para-a-mattel/blog/35605/#.ThSelZ_YnLI.facebook

Compartilhe :   
  1. Amanda Brasil
    Amanda Brasil em Terça-feira 26 Julho 2011 14:10
    Interessante. Algumas embalagens são realmente desnecessárias, outras poderiam ser mais ecológicas. E dá para ver claramente as duas denuncias (embalagem e propaganda), claramente na vida das crianças. É só olhar a quantidade de embalagem que vai para o lixo depois de uma festa de aniversário. Ou acompanhar por 15min. um canal infantil.
  2. Matheus
    Matheus em Terça-feira 26 Julho 2011 14:11
    Ridiculo!!! Eu não entendo, juro que não entendo, porque o ser humano faz isso? nós não deviamos ser o 'Animal' mais inteligente do planeta?? Me pergunto todo dia quando eu vejo um simples papel de chiclete no chão..''Até onde nossa ignorância vai parar??''
    Mais eu acredito, juro que acredio em um Mundo melhor!
  3. Silvia
    Silvia em Terça-feira 26 Julho 2011 17:56
    E, santa hipocrisia, a Mattel lançou um concurso de design para escolher a nova casa ecológica da Barbie, em Malibu. Pior é que as pessoas acham lindo, elogiam porque vai estimular os pequenos a viverem uma vida mais sustentável, e não veem (ou não querem ver) o que está, de fato, por trás de uma campanha dessas.
  4. soraya
    soraya em Quarta-feira 27 Julho 2011 16:28
    É... o ser o humano é o animal mais inteligente, por isso mesmo é tão criativo na hora de criar, e destruir tudo o que quer!

Comentários encerrados.