O assunto do combate à obesidade continua em alta e deve ganhar cada vez mais destaque na imprensa, tendo em vista os altíssimos índices de obesidade no mundo. A OMS estima que mais de 170 milhões de crianças estejam com sobrepeso ou obesas. Não por acaso a pauta surge na imprensa.


No sábado, a Folha destacou o investimento das redes de fast food em cardápios mais saudáveis. Notícia que vem sendo divulgada desde julho, com o anúncio de que o McDonlad’s iria reduzir as calorias de seus pratos em 20% até 2012.

Iniciativas como essas são bem-vindas, mas não são suficientes para resolver o problema do consumo excessivo de alimentos com alto teor de açúcar, sódio e gorduras. É preciso pensar em ações mais amplas, que também incluam o tema da regulação da publicidade de alimentos.

Aliás, esse será ponto importante na contribuição do Projeto Criança e Consumo durante a Conferência de Segurança Alimentar e Nutricional, que começa na segunda-feira, dia 7, em Salvador. Pena que o encontro tem sido pouco divulgado pela grande imprensa.

E, na contramão, a Justiça libera a publicidade de cereais matinais para crianças, como foi noticiado pelo Valor. Decisão lamentável, já que o produto tem muito açúcar e sua comunicação mercadológica se aproveita da vulnerabilidade infantil, com uso de personagens licenciados e brindes.

Sobre esse assunto, vale reler o artigo de Isabella Henriques, coordenadora-geral do Criança e Consumo. O texto foi publicado nesse blog em janeiro. De lá pra cá, pouca coisa avançou....

 

Compartilhe :   

Comentários encerrados.