Como fazer com que entidades da sociedade civil e o Estado transformem boas idéias em políticas públicas de proteção à primeira infância? Esse é o mote da publicação lançada neste ano pela Rede Nacional Primeira Infância, que agrega diversos relatos de instituições que têm em comum essa tarefa. 

Isabella Henriques, Pedro Affonso e eu contribuímos para esta publicação com um artigo em que detalhamos a atividade de advocacy realizada aqui no Criança e Consumo em torno do Projeto de Lei nº 5921/2001 que regulamenta a publicidade dirigida ao público infantil. Indicamos alguns dos caminhos que seguimos. Com isso a nossa intenção é chamar a atenção para o fato de que cada uma das organizações tem um dever de casa a ser feito: muito trabalho de pesquisa e de entendimento de conjuntura política para influenciar políticas públicas. Mas claro que não há receita de bolo. Cada estratégia é uma e na publicação, que traz diferentes experiências de várias entidades participantes da Rede, isso fica em evidência.

Um dos propósitos da Rede reunir esses textos em um documento único éconstruir e compartilhar conhecimento organizado a respeito da atividade de advocacy no terceiro setor com foco nos cuidados com a primeira infância, inspirando outras organizações a realizarem suas atividades de mobilização para mudanças políticas de uma maneira mais qualificada.

Vale a leitura !!!

A publicação pode ser acessada para download em:

Primeira infância em primeiro lugar: experiências e estratégias em advocacy. Organização: Maria Thereza Oliva Marcílio e Gustavo Amora. Ano: 2011. Realização: Avante, World Forum Foundation e Rede Nacional Primeira Infância. Apoio: Instituto C&A e Bernard van Leer Foundation.

Compartilhe :   

Comentários encerrados.